30 de nov de 2016

Mulher comete suicídio na cidade do Rio de Janeiro

Suspeitas indicam que a mulher cometera o suicídio por sofrer perseguição

No dia doze (12) de julho de 1892, foi encontrado o corpo de Bertoleza da Silva, 35, na cozinha de um armazém, localizado na cidade do Rio de Janeiro, esfaqueado na região do abdômen.
De acordo com testemunhas, Bertoleza teria praticado suicídio por acreditar que estivesse sendo perseguida. Segundo o testemunho, Bertoleza estava escamando peixes quando cometera o ato: “Percebi o movimento estranho dentro do armazém. Havia um homem alto, junto aos policiais, andando pelas redondezas e vi os mesmos entrarem no local. Não demorou muito para o dono do lugar sair correndo, pedindo ajuda. Quando fui até lá, a mulher já estava morta e com a barriga cortada” diz Jerônimo Oliveira, 38, testemunha do ocorrido.

O homem ainda afirma que Bertoleza sempre dizia sofrer perseguições de seu antigo patrão, e que nunca falava o motivo. Esse relato ainda está sendo apurado pela polícia que busca pelo suspeito.
Jornalista:
Larissa Hanako Suzuki 

Cortiço é Inaugurado no Bairro Botafogo

Nesta ultima sexta-feira, no bairro Botafogo, em frente à grande pedreira do município do Rio de Janeiro, fora inaugurada a estalagem de João Romão.
João Romão, de 31 anos dono de uma venda da região, foi responsável pela inauguração do cortiço, motivado pela vontade de ascender socialmente o construiu pouco a pouco com suas próprias mãos, através do dinheiro arrecadado em seu comercio, implantou essa pequena estalagem.
Em entrevista com o empreendedor e construtor João Romão, ele relatou: “O cortiço faz parte de mim, foram incontáveis às vezes em que dormi sobre o balcão de minha própria venda. E finalmente venho lhes apresentar a minha estalagem.”

A partir da próxima semana o cortiço estará aberto pra os novos inquilinos.

Jornalistas:
           Fransciny Costa Alves
Ramon Bocker 

Cortiço de Bairro Carente é Incendiado

      A estalagem, mais conhecida como Avenida João Romão, foi incendiada na última terça-feira (27). Investigações acerca do culpado ainda estão em andamento.
       Relatos indicam que o acontecimento partiu de um conflito inicial entre os moradores de dois cortiços próximos. Alguns residentes da Avenida João Romão tentaram conter as chamas enquanto outros se empenhavam em recolher seus bens ou procurar ajuda. A situação foi controlada com a chegada do Corpo de Bombeiros.

        Zulmira Souza, 17 anos, disse que o incêndio foi proposital: “Aquela velha louca quase matou todo mundo! Ela sabia o que estava fazendo”. O dono da estalagem, João Romão Vieira, 36 anos, prometeu que providências serão tomadas: “Logo, os moradores poderão retornar às suas casas”. Investigações apontam para Paula Faria como causadora do incêndio, porém os fatos ainda serão apurados.

Jornalistas:
Anna Júlia Sturaro
Carolina Smania Semensato

BOMBEIROS CONTROLAM INCÊNDIO DO MAIOR CORTIÇO CARIOCA

Na noite de 25 de abril de 1882, foi registrado um incêndio no cortiço da avenida São Romão, o sinistro foi bravamente controlado pelos bombeiros.
O fogo se alastrou rapidamente, com origem desconhecida, os moradores tentaram a todo custo deter as labaredas, as quais eram motivo de desespero. Inicialmente, negaram ajudados bombeiros, apesar da gravidade da situação. Poucos foram os feridos, porém uma mulher, Paula Rodrigues, 60, e um homem, Libório Pereira, 82, foram encontrados mortos dentro do cortiço, ambos queimados. A polícia ainda investiga a causa, mas tudo indica um incêndio criminoso.
O Barão Miranda, que reside ao lado do cortiço, foi a principal testemunha: “Minha filha Zulmira, ao perceber, o que ocorria se desesperou. Da janela viam-se as labaredas tomarem conta do local; corajosamente os bombeiros detiveram o fodo e se tornaram os heróis da vizinhança”, relatou.

Após o fim do ocorrido, os moradores se mobilizaram para tentar salvar alguns pertences deixados no local.

Jornalistas: Gabriela Contesa e
                               Viviane Araújo

16 de nov de 2016

Resíduos Sólidos

Proposta 02 - Resíduos Sólidos

O descarte de resíduos sólidos no Brasil ainda é um problema que tem afetado diversas regiões. Existem diversos fatores que contribuem para essa situação no país, podemos citar como exemplos a ineficiência da coleta destes resíduos, a expansão quase incontrolável das cidades, ocupação de regiões indevidas (zonas de risco) entre outros.
Com base nestas perspectivas e nos textos de apoio e vídeos informativos selecionados, elabore um texto argumentativo sobre este tema.


- DA LEGISLAÇÃO:


Lei 12.305, de 03 de agosto de 2010.
Define:
Gerenciamento de resíduos sólidos: conjunto de ações exercidas, direta ou indiretamente, nas etapas de coleta, transporte, transbordo, tratamento e destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, de acordo com plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos ou com plano de gerenciamento de resíduos sólidos, exigidos na forma desta Lei;
Logística reversa: instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada;
Rejeitos: resíduos sólidos que, depois de esgotadas todas as possibilidades de tratamento e recuperação por processos tecnológicos disponíveis e economicamente viáveis, não apresentem outra possibilidade que não a disposição final ambientalmente adequada;  
Resíduos sólidos: material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou exijam para isso soluções técnica ou economicamente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível;  
Responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos: conjunto de atribuições individualizadas e encadeadas dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, dos consumidores e dos titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, para minimizar o volume de resíduos sólidos e rejeitos gerados, bem como para reduzir os impactos causados à saúde humana e à qualidade ambiental decorrentes do ciclo de vida dos produtos, nos termos desta Lei;
Destinação final ambientalmente adequada: destinação de resíduos que inclui a reutilização, a reciclagem, a compostagem, a recuperação e o aproveitamento energético ou outras destinações admitidas pelos órgãos competentes do Sisnama, do SNVS e do Suasa, entre elas a disposição final, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos;
Mais informações em: Lei 12.305
-VÍDEOS INFORMATIVOS:

Lixo?


Eu sei, mas não devia - Marina Colasanti



"O Bicho" - Manuel Bandeira


Barcelona usa sistema subterrâneo para descartar lixo


Democracia no Brasil

Proposta de Produção de Texto – 4º Bimestre

Texto 1

 







Texto 2


 











Com base nas charges acima e no documentário “Requiem for the American Dream" (Requiem para o Sonho Americano), 2015, dirigido por  Kelly Nyks, Peter D. Hutchison, Jared P. Scott escreva um texto dissertativo-argumentativo que aborde o seguinte tema: Onde está a democracia no Brasil atual?

Orientações

Seu texto deve ter o mínimo de 15 linhas e o máximo de 35 linhas.

Dê um título adequado ao texto.

Desenvolva a proposta assumindo um posicionamento crítico em relação ao tema.


6 de nov de 2016

Thayla Vitória: Foi só uma Mentirinha

Foi só uma mentirinha

Após o término das Olimpíadas Rio 2016, o nadador norte-americano Ryan Lochte estava voltando ao seu país, feliz após ganhar uma medalha de ouro, quando ocorre um problema em seu avião. Quando abre os olhos, se dá conta de que está em um porto, com apenas sua medalha de ouro em seu pescoço.
Ryan: Onde estou? O que está acontecendo?
Diabo: Suba no barco!
Sua carona chegou!
R: Do que você está falando? Carona pra onde?
D: Pra onde você merece
R: Que seria?
D: O inferno é claro!
R: Mas como assim, não posso ir para lá!
Eu sou jovem, bonito, famoso, não está vendo tenho medalhas de ouro!
D: Não se preocupe, no meu barco tem espaço suficiente pra você e sua medalha.
R: Mas eu mereço ir para o céu, eu sou bom e faço várias obras de caridade
D: Sim, faz isso com o que lhe sobra e para manter as aparências de bom moço.
R: Cite algo que eu fiz para prejudicar alguém
D: Tentar prejudicar a imagem de um país todo é o suficiente para você?
R: Não foi a minha intenção!
D: Então por que o fez?
R: Estava confuso!
D: Não parecia tão confuso quando deu aquele falso depoimento
Vamos, entre logo, ainda tenho que buscar mais pessoas hoje!
R: Já que eu não tenho outra escolha

(Os dois entraram no barco.)

D: Espero que sua criatividade tenha acabado!
R: Por quê?
D: Estou indo para o Brasil, buscar uma velha amiga minha, e não quero você inventando mais nenhuma história por lá.
R: E quem você está indo buscar?

D: A Dilma!

Taís Nascimento: Bolsonaro Entre o Bem e o Mal

Bolsanaro entre o bem e o mal
Após sua morte, Jair Bolsonaro se encontra entre dois caminhos, um que vai para o inferno e o outro que vai para o céu.  No começo de cada um deles, está o diabo e o anjo.
Diabo: Olá, meu caro, veio para o lugar certo, pode seguir em frente.
Jair Bolsanaro: Quem é você?!Pra onde esse caminho vai?.
D: Como assim quem sou eu!Seu amigo diabo, e esse caminho vai para o inferno.
JB: Sou seu amigo coisa nenhuma, meu lugar não é o inferno e sim o céu.
D: Hahaha, não me faça rir. (com ironia)
D: Para o céu que você não vai.
Jb: Por quê?!
D: Primeiro, que nem bom homem você foi, segundo que você vai direto para o inferno,já pode passar.
JB: Mas não vou mesmo, vou ali conversa com o anjo, tenho certeza que lá eu passo.
D: Boa sorte, seu tolo, aposto que daqui a pouco volta aqui.
(Então Jair Bolsanaro se dirigiu até o Anjo)
JB: Oi ,seu anjo, tudo bem?
Anjo: Nem tente pedir para passar por aqui, porque você não vai para o céu.
Jair Bolsanaro diz com espanto, olhando para o anjo.
JB: Por quê?!
A: Além de você ser um cara homofóbico e racista, apoiou um torturador da ditadura.
JB: Mas eu só fiz uma pequena homenagem, para lembrarem-se dele.
A:  Mas isso não é motivo para homenagear uma pessoa que mandou torturar mais de 3  mil pessoas.
JB: Isso foi só um erro, me deixa passar, por favor, seu anjo.
A: Você não fez só isso, criticou os gays, além de ser racista.
JB: Só disse essas coisas sem pensar, me dê uma chance, por favor, não mereço ir para o inferno.
A: Você não merece ir para o céu, seu lugar é o inferno, porque no céu só entra pessoas boas e honestas, e não pessoas como você.
JB: Seu anjo juro para você que me tornei outra pessoa depois que morri!. Me deixa passar.
A: Nem venha com essa choradeira, você não vai passar de jeito nenhum!. Volte lá com seu amigo diabo, que eu tenho mais o que fazer, preciso atender outras pessoas.
(Jair Bolsanaro volta triste para falar com o diabo)
D: Hi-u! Bem que eu falei, mas não fique triste no inferno sempre cabe mais um.

JB: O jeito é ir para o inferno mesmo não vai ter outra opção.

Letícia da Silva: Auto da Barca da Tecnologia

Auto da Barca da Tecnologia
Primeiramente não queremos desejar a morte de ninguém, mas mostrar o reconhecimento de dois caminhos pós-morte e os dois lugares bem conhecidos, onde se localizam o céu e o inferno.
O interlocutor primordial é o Bill Gates que com ele segura um microcomputador, no qual estão guardados os primeiros dias de fama do grande nerd da tecnologia.
Diabo: Vamos, gentil camarada, nosso barco está prestes a partir.
Diabo: Vamos, gentil camarada, nosso barco está prestes a partir
Bill Gates: Olá, senhor, quem tu convidas para partir?
D: Ora! Quem mais está aqui além de você.
BG: Qual o destino desta barca?
D; Para o lugar mais quentinho que consiga imaginar.
BG: Como só existem dois caminhos e um dos mais quentes seria o inferno.
D: Isso mesmo, vamos seguir rumo ao inferno.
BG: Não, moço, agradeço, mais o céu me aguarda eu sinto.
D: Que pena camarada! Não tem disseram que quando você morre não se sente mais nada (risada sarcástica)
BG: Sim, por conta disso, criei meu próprio microcomputador de sentimentos.
D: Microcomputador? Sentimentos?
BG: Isso mesmo nele guarda meus primeiros dias de fama e eu posso reviver o quanto foi bom, ter criado um software.
D: É com isso que você acha que vai para o céu?
BG: Claro, fiz e ainda faço pessoas felizes com os meus trabalhos.
D: Mas você não faz as pessoas felizes!
BG: Oxi faço sim!
D: Não faz, a tecnologia está destruindo vidas das pessoas, elas não se comunicam visualmente, os jovens estão usando internet para fazer bulling, levando isso até a morte!  
BG: Mas sou gente boa! Já não terei chance para ir ao céu #Partiu inverno.

E assim embarcaram

João Vitor: Tá Gravando?

TÁ GRAVANDO?

Após morrer, Kéfera Buchmann se vê entre duas barcas bem distintas, que irão decidir sua vida após a morte.
KÉFERA — Caceta! Onde é que eu tô?
ANJO — Você está morta.
KÉFERA — Meio óbvio já que levei um tiro no peito. (estica a blusa mostrando a mancha de sangue)
ANJO — Deixe-me ser mais claro. Vê estas barcas? Elas podem te levar para o céu ou para o inferno.
KÉFERA — E você é um anjo porque tem asas!
ANJO — Não, na verdade isso é uma excursão pra Aparecida do Norte e essas asas fazem parte do figurino.
KÉFERA — Poxa! Não precisa ser tão grosso.
ANJO — Desculpa. É meu primeiro dia.
KÉFERA — Tudo bem. Será que agora eu posso entrar?
ANJO — O que te faz pensar que pode ir entrando assim?
KÉFERA — Eu pensei que eu pudesse escolher o meu caminho.
ANJO — Pensou errado. Cabe a mim decidir isso.
KÉFERA — Mesmo depois de morta eu ainda tenho que passar por burocracia?
ANJO — São as regras. Mas, me diga, porque acha que merece vir nesta barca?
KÉFERA — Bem, cometi vários erros...
ANJO — Com certeza! Dirigiu alcoolizada. Foi presa por má conduta.
KÉFERA — Mas ajudei uma ONG de cachorrinhos.
ANJO — Não os coloque nesse meio. Isso é apelação.
KÉFERA (chorando) — Olha, quer saber? Foda-se se eu não vou conseguir te agradar pra conseguir entrar nessa porcaria de barca. Mas se você quer um motivo, eu vou te dar um motivo. Há alguns meses, eu conheci um garoto chamado Gabriel, ele tinha leucemia. Ele acreditava que não tinha mais o que viver, e começou a tentar suicídio. Eu fiz vários vídeos tentando dar um motivo pra ele viver, mas a verdade é que ele só queria alguém com quem dividir a dor. Eu sentei ao lado dele, eu o escutei e eu nunca chorei em toda a minha vida como aquele dia. Não sei por que, mas ele me ouviu e decidiu que iria continuar o tratamento. Ele parou de tentar suicídio e até melhorou, por um tempo. Infelizmente o inevitável aconteceu e ele morreu, mas todos os dias ele me ligava e me dizia “obrigado”. Aquilo foi terrível, mas hoje eu entendo que eu salvei uma vida, por pouco tempo, mas salvei.
ANJO — Você tem um lugar na barca do paraíso.
Mesmo com muita confusão e emoção, Kéfera conseguiu seu lugar para o paraíso.

Fernanda Calce: O Encontro

O ENCONTRO
No momento em que Neymar Jr. acaba de morrer, depara-se com uma luz forte e radiante vindo ao seu encontro.
ANJO: Olá! Neymar!
Então, o jovem, assustado, entra em choque ao ver um ser com uma luz celestial tão intensa e pergunta:
NEYMAR: Anjo, onde estou? Eu morri?
ANJO: Sim, meu querido, você morreu, está no Reino dos Céus, mas o teu lugar não é aqui!Venha comigo.
Então Neymar desce acompanhado com o Anjo até chegar a um lugar obscuro, com gritos e ranger de dentes.
NEYMAR: Que lugar horrível! Que lugar é esse?
ANJO: Bem -vindo ao inferno, querido, hoje você acertará as suas contas com um camarada bem barra pesada. Hahaha!
NEYMAR: Que fita é essa, Anjo? Eu não mereço estar aqui não!
ANJO: É uma fita bem pesada ,meu jovem, Ah, se merece eu não sei, mas o Altíssimo me ordenou para deixar você aqui. Venha, o camarada está te esperando.
Então o Anjo deixa Neymar na porta do Inferno junto ao Diabo.
DIABO: Hahaha! Que bom te ver, Neymar!
NEYMAR: Quê? Só você, coisa ruim! Não te conheço!
DIABO: Conhecer não conhecia, mas fez muitas coisas para vir parar aqui.
NEYMAR: Quais coisas? Sempre fui uma pessoa “de bom coração”
DIABO: Se fosse uma pessoa de um bom coração ,não estaria aqui! Vou ler um pouco das páginas do seu livro de pecados.
NEYMAR: Isso não é possível! Leia! Se forem os pecados que eu mesmo cometi, eu não discuto mais com você!
DIABO: Bom, aqui tem o seguinte... No ano de 2010, você se recusou a distribuir ovos de páscoa em um gesto de caridade para uma instituição de viés espíritas chamada “Mensageiros da luz”. Em uma partida de futebol contra o Avaí, você se mostrou superior, ofendendo o zagueiro Emerson Nunes com a frase “Sou milionário e posso tudo”. Em outro jogo, você se desentendeu com o treinador e ficou muito furioso e atirou um copo com isotônico no auxiliar do técnico. Várias noitadas suas com garotas de programa, você esteve envolvido em várias confusões até mesmo com o Pelé, há várias acusações de racismo, acusou vários juízes de ladrão em suas redes sócias e mentia afirmando ter sido vitima de hackers, pagou varias indenizações e estava indo à falência com seus luxos e gastos milionários. Bom, rapaz, vamos, lá dentro eu termino de ler o resto.
NEYMAR: Ah ,coisa ruim, tem que ter um pouco de ousadia, né !
DIABO: Sim! Agora usa sua ousadia lá dentro! Hahaha

Assim Neymar segue em direção à porta do inferno, onde ficará preso eternamente pagando pelos teus pecados.

Felipe de Andrade: Hitler Entre o Céu e o Inferno

Hitler Entre o Céu e o Inferno
Logo após seu suicídio, o ex-ditador alemão Adolf Hitler se encontra parado diante de duas barcas: uma do Céu e outra do Inferno. Porém, sem escolher muito, deu um passo a frente e se encaminhou – primeiramente – para a barca do Inferno. Chegando lá, deparou-se com uma figura típica do local, o Diabo:
-Caro Hitler, que prazer em vê-lo. - exalta-se o Diabo - O que um Ditador tão impiedoso vem procurar na porta para o Inferno?
-Estou à procura de um esconderijo eterno depois do meu suicídio. Envergonhei todo o meu povo.
-Seu suicídio? Isso não chega aos pés de todos que você matou ou mandou matar. Marcara seu nome para sempre na história, merecendo um lugar bem aqui, no calor escaldante.
-Eu só fiz o que qualquer outro líder político e econômico de uma potência mundial como a Alemanha faria: acabar com a religião judaica. Eles são os culpados de tudo!
Termina Hitler, começando a se irritar com o Diabo.
-Judeus, culpados? Mas, pelo quê especificamente, meu caro? Vá direto ao ponto e pare de me enrolar como fazia com todos quando ainda estava vivo.
Adolf estufa o peito e diz: - A Alemanha existe para ser a maior potência de todas, e foi isso que eu busquei. Matar todos e criar uma nova raça: a Raça Ariana. Os judeus possuem uma grande economia mundial, eu tinha que acabar com isso.
-Cara, eu só sei de uma coisa. Você provavelmente tem um parafuso a menos. Bate um papo com meu “amigão” logo ali, porque é inevitável você voltar pra cá.
Hitler, confuso, foi até a barca do Céu para entender o porquê de o Diabo ter pedido para que ele conversasse com o Anjo, já que são arqui-inimigos.
-A barca do Céu é só isso aqui? Podia ter certeza que impunha mais medo e respeito nos que a observavam... Mas estava enganado.
-Por gentileza, quem é você? – questiona o Anjo, todo educado.
-Sou Hitler, Adolf Hitler. Ditador alemão nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Não se lembra de mim, Anjo?
-Mas é claro que me lembro. Afinal, como se esquecer de um cidadão como o senhor? Matou, torturou, invadiu e, principalmente, destruiu povos e culturas. Não é à toa que meu “colega” Diabo lhe enviou aqui, estava cheio da sua personalidade fria e calculista.
-Anjo, você precisa entender que fiz isso em nome de Cristo, nosso salvador. Então mereço meu espaço ao seu lado no Paraíso.
-Você não vai me convencer, rapaz – discute o Anjo – o Paraíso pertence àqueles que vivem a vida com alegria e felicidade no coração. Caso a pessoa seja como você, um assassino, o lugar dela é naquela barca escura logo ao lado. Até nunca, querido Hitler.
Furioso novamente, o chefe Nazista se encaminha, de mente culpada pelo que fez nos últimos anos de usa vida, para a quente, dolorosa e impiedosa barca do Inferno.
-Voltou companheiro? – se alegra o Diabo
-Se estou aqui provavelmente eu voltei. Pergunta idiota.
-O senhor me parece um pouco irritado, eu posso ajudar. Esta vendo aquele banco bem ali, próximo àqueles homens jogando baralho?
-Sim, eu vejo. O que eu faço ali? – Com expressão totalmente fria, apenas obedecia às ordens do sete peles.
-Praticamente nada. Sente-se e adapte-se. Aqueles ali serão como seu exercito. Confiáveis até certo ponto, exigindo sempre cautela.
-Que ótimo! – indaga Hitler
A caminho do banco indicado pelo Diabo, ele vira-se para ouvir sua última despedida:
-Ah, esqueci de dizer que seja muito bem-vindo ao Inferno...